domingo, 22 de septiembre de 2013

Luciano Candisani: em busca do elo entre os animais e o ambiente

O fotógrafo usa emoção e técnica como armas para a conservação

por Marcela Puccia Braz
 
A ligação do fotógrafo Luciano Candisani com a água é especial. Períodos de férias e finais de semana desde sempre foram vivenciados com os pés na areia, de olho no movimento das águas salgadas nas quais gostava de mergulhar. De volta à São Paulo, Luciano trazia o oceano consigo e viajava pelas histórias do oceanógrafo e explorador francês Jacques-Yves Cousteau.
O adolescente que folheava, deslumbrado, a revista National Geographic na biblioteca do colégio não tinha ideia de que, aos 43 anos, teria várias reportagens fotográficas estampadas nas páginas da publicação internacional.
Atingir esse nível não foi fácil. Muito antes disso, foi preciso concluir o curso de mergulho autônomo aos 14 anos para, depois, começar a fazer fotografia subaquática no litoral norte de São Paulo, nos arredores de Ilhabela. Levava no ônibus cinto de lastro e cilindro e nos locais escolhidos acampava, dormia na casa de amigos ou ficava em barcos de conhecidos e de escolas de mergulho. "Fiz o curso e não comprei nenhum equipamento de mergulho. Comprei a câmera e alugava o resto ou pegava emprestado", recorda.
A Nikonos V foi a primeira das muitas companheiras de Candisani debaixo d'água – a câmera que deu o pontapé inicial em sua formação autodidata em fotografia. Formado em Biologia pela Universidade de São Paulo, ele preferia ter feito oceanografia, mas o curso não existia antes de 2002. "Minha ligação com a natureza sempre foi com o mar, com a fotografia dentro da água."
Por isso, foi no Instituto Oceanográfico onde ele fez todas as matérias optativas que pôde e participou de duas expedições de três meses cada para a Antártica, em 1995 e 1996. A experiência foi sua estreia como fotógrafo profissional, apesar de ter feito de tudo um pouco na viagem, de pilotar o barco e ajudar na manutenção do equipamento a carregar os cilindros de mergulho.


Muriqui-do-Norte, RPPN Feliciano Miguel Abdala, Caratinga, MG. Fotografia do ensaio A Jornada de paz e amor dos Macacos Hippies, publicada na edição de dezembro de 2003 de National Geographic Brasil

Jacaré-do-Pantanal, Rio Negro, Pantanal, MS. Fotografia do ensaio The Comeback Croc, produzido para a edição mundial de National Geographic.

Jacaré-do-Pantanal, Rio Negro, Pantanal, MS. Fotografia do ensaio The Comeback Croc, produzido para a edição mundial de National Geographic.

Nuvem de chuva sobre o Rio Touro Morto, Pantanal. Fotografia do livro Pantanal, na linha d’água, de National Geographic Brasil.

Pantaneiro na Vazante do Mangabal, no auge da Cheia. Fotografia do livro Pantanal, na linha d’água, de National Geographic Brasil.

Concentração de jacarés-do-Pantanal, Pouso Alegre, Pantanal, MT. Fotografia do ensaio The Comeback Croc, produzido para a edição mundial de National Geographic

Jacaré-do-Pantanal, Rio Negro, Pantanal, MS. Fotografia do ensaio The Comeback Croc, produzido para a edição mundial de National Geographic.

Jacaré-do-Pantanal, Rio Negro, Pantanal, MS. Fotografia do ensaio The Comeback Croc, produzido para a edição mundial de National Geographic.

Crianças aproveitam a maré baixa para coletar ovas de caramujo para o jantar da família, Danajon Bank, Filipinas – Trabalho para a ILCP.

Crianças aproveitam a maré baixa para coletar ovas de caramujo para o jantar da família, Danajon Bank, Filipinas – Trabalho para a ILCP.

Bióloga Zelia Brito cuida de uma tartaruga-verde encalhada na maré baixa, no Atol das Rocas.

Peixe-boi-marinho no oceanário de pesquisa e educação ambiental do Centro de mamíferos marinhos de Itamaraca, PE. Foto para a matéria peixe-vivo, da edição de novembro de 2010 de National Geographic Brasil.

Concentração de lagartas em um tronco na Mata Atlântica. Rio Bonito, RJ.

Tamanduá-mirim, Pantanal, MS. Do livro Pantanal, na linha d’água, de National Geographic Brasil

Vazante do Mangabal no auge da cheia, Pantanal, MS. Do livro Pantanal , na linha d’água, de National Geographic Brasil

Bonito, MS. Foto da matéria Cerrado, um drama em silêncio, da edição de outubro de 2008 de National Geographic Brasil.

Onça Pintada, Rio Cuiaba, MT. Do livro Pantanal, na linha d’água, de National Geographic Brasil

Concentração de jacarés-do-Pantanal, Pouso Alegre, Pantanal, MT. Fotografia do ensaio The Comeback Croc, produzido para a edição mundial de National Geographic.

Peixe-boi marinho em ambiente Natural. Porto de Pedras, AL.

Boto-vermelho, Rio Ariau, AM.

Baleia-jubarte, mãe com filhote recém nascido nas águas abertas ao largo da península de Maraú, Bahia.

Filhote de tartaruga-verde no Atol das Rocas.

Luciano Candisani na Amazônia.  

Todas as fotos de Luciano Candisani
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...