martes, 5 de febrero de 2013

Reconhecimento póstumo

Um fotógrafo amador da Grã-Bretanha recebeu o primeiro lugar em uma renomada competição nacional de fotografia, mas o prêmio só foi anunciado no dia de seu funeral.
Danny Beath havia conseguido colocar suas fotografias entre as finalistas do prêmio Wanderlust Travel Photo of the Year sete vezes, mas nunca tinha levado o primeiro prêmio.
Sua vitória na competição deste ano, com uma foto de um relâmpago caindo em um campo de papoulas, foi anunciada na última sexta-feira, mas há três semanas Beath teve um ataque cardíaco fulminante em sua casa na cidade de Shrewsbury, no condado de Shropshire, oeste da Inglaterra.
A notícia sobre o prêmio foi divulgada quando sua família participava do funeral. A galeria acima, organizada com fotos concedidas por parentes, é uma homenagem ao seu trabalho.
Pelo primeiro lugar, Beath, que tinha 52 anos, receberia equipamentos novos para fotografar e uma viagem para Papua Nova Guiné.
“Queria muito que ele tivesse tomado conhecimento (de sua vitória) antes de morrer, porque isso teria significado muito para ele”, disse ao jornal Shropshire Star Lyn Hughes, uma das organizadoras da competição.
Danny, que tinha um doutorado em ecologia tropical, ganhou outros concursos de fotografia com imagens que retratam a natureza, entre eles uma competição do jornal Sunday Times e outra de seu condado, a Shropshire Wildlife Photographer of the Year 2012.


O fotógrafo amador Danny Beath recebeu um renomado prêmio britânico de fotografia por esta imagem de um relâmpago caindo em um campo de papoulas - mas sua vitória só foi anunciada no dia de seu funeral.


A vitória de Beath (acima) na competição deste ano foi anunciada na última sexta-feira. Há três semanas ele teve um ataque cardíaco fulminante quando estava no jardim de sua casa, em Shrewsbury. 


Beath, que tinha 52 anos, havia conseguido colocar suas fotografias entre as finalistas do prêmio Wanderlust Travel Photo of the Year sete vezes, mas nunca tinha levado o primeiro lugar. Especializado em paisagens naturais, em suas últimas fotografias ele retratou enchentes no condado em que vivia, Shrewsbury, em cenas como esta acima.


A notícia sobre o prêmio foi divulgada quando seu funeral estava acontecendo. Pelo primeiro lugar, Beath receberia equipamentos novos para fotografar e uma viagem para Papua Nova Guiné. 


“Queria muito que ele tivesse tomado conhecimento (de sua vitória) antes de morrer, porque isso teria significado muito para ele”, disse ao jornal 'Shropshire Star' Lyn Hughes, uma das organizadoras da competição. 


Beath tinha um doutorado em ecologia tropical e ganhou outros concursos com fotografias que retratam a natureza, entre eles uma competição organizada pelo jornal britânico 'Sunday Times' e outra de seu condado, o Shropshire Wildlife Photographer of the Year 2012.


Beath tinha síndrome de Asperger e costumava dizer que a condição muitas vezes lhe dava uma visão diferente do mundo, sendo um diferencial em seu trabalho como fotógrafo.


Apesar de a maioria de suas fotografias terem sido tiradas no Reino Unido, Beath também retratou paisagens na Europa, EUA e América do Sul. Esta imagem, por exemplo, é do Jardim Botânico Wilson, na Costa Rica.


Esta outra fotografia foi tirada no Jardim Botânico de Saint Loius, no estado americano do Missouri. Para Beath, a fotografia era como uma "máquina do tempo", permitindo que alguns momentos fossem eternizados. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...