martes, 22 de enero de 2013

Fotógrafo descobre imagens feitas por pastor na Revolução Russa

Um fotógrafo russo vivendo nos Estados Unidos descobriu um acervo inédito de fotos feitas por um pastor americano em plena Revolução Russa.
As fotos foram tiradas de uma coleção de slides de vidro, que permaneceram por décadas guardados em uma caixa. Elas pertenciam a John Wells Rahil, um pastor formado na Universidade de Yale em 1906 e que, em 1917, se juntou à ACM (Associação Cristã de Moços) com a ideia de visitar a Rússia e conferir de perto a revolução em andamento no país.
A caixa foi encontrada pela neta de Rahil, no Estado americano do Colorado, que as ofereceu, em 2005, a um tradutor e fotógrafo russo Anton Orlov, então vivendo em San Diego, na Califórnia.
Ao traduzir o material, Orlov se deu conta de sua importância histórica. O acervo inclui mais de 500 slides de vidro, ampliações e anotações, junto com um projetor. O grosso das fotos foram feitas por Rahil com uma câmera Kodak; muitas outras fotos compradas de estúdios profissionais russos.
Pelo que Orlov descobriu, Rahil, quando de volta aos Estados Unidos, deu várias palestras sobre seu trabalho na ACM durante a guerra. Mas, segundo Orlov, Rahil acabou entrando em uma lista negra no país, rotulado como comunista.
Orlov acabou comprando o acervo e criando um projeto para divulgá-lo, 'The Photo Palace Bus', um laboratório de ampliação fotográfica itinerante, que visa divulgar técnicas analógicas e fotos antigas.

Mais detalhes sobre os projetos de Orlov e as fotos antigas estão no site http://thephotopalace.blogspot.co.uk/2013/01/wwi-and-russian-revolution-photos-found.html


Apesar do crescimento das mídias digitais, alguns fotógrafos ainda mantêm a fotografia analógica viva. Um projeto que se concentra nestas imagens é o de Anton Orlov, chamado 'The Photo Palace Bus', no qual ele criou um laboratório de foto itinerante, saindo da cidade de Orlov, San Diego, nos Estados Unidos. Acima, o pastor John Wells Rahill e três meninos russos em um vilarejo. Todas as imagens cortesia de Anton Orlov.


O projeto visa divulgar informações sobre técnicas de fotografia histórica por vários países usando exposições, palestras e demonstrações. Com este projeto, Orlov descobriu em 2005 uma coleção de fotos da Rússia durante a revolução de 1917. Acima, membros da Associação Cristã de Moços (ACM) se apresentando em uma estação de trem.


Segundo Orlov, estas fotos são o trabalho de John Wells Rahill, pastor formado na Universidade de Yale em 1906 e que, em 1917, se juntou à ACM americana, e foi enviado à frente oriental junto com soldados russos, na fronteira entre Estônia e Letônia. Acima, soldados em uma estação de trem em Omsk.


Durante sua estadia, Rahill fez muitas fotos com sua Kodak. Quando voltou para os EUA, suas fotos foram coloridas e transformadas em slides. Acima, soldados usam máscaras de gás perto de um abrigo.


'Rahill também visitou Moscou e comprou mais de 50 slides de um estúdio profissional', explicou Orlov. Acima, um dos slides comprados por Rahill em Moscou, no estúdio Baranov.


Nos EUA, Rahill fez várias palestras sobre seu trabalho na ACM durante a guerra. Mas, segundo Orlov, todos os que trabalharam na Rússia entraram para uma lista negra e foram rotulados como simpatizantes do socialismo. Acima, um prédio em ruínas em Moscou. 


Mais de 500 slides de vidro, ampliações e anotações, junto com o projetor, foram colocados em um depósito e encontrados apenas depois da morte de Rahill, pela neta dele. Acima, o interior de um abrigo para soldados que Rahill estabeleceu em Valk.


Rahill continuou seus registros fotográficos durante sua jornada para os EUA, passando pela China e Japão. Acima, uma procissão em um funeral em Pequim, na China.


Em 2012, Orlov comprou a coleção. 'Meu objetivo é voltar para a Rússia em 2017 e viajar pelos caminhos percorridos por John (Rahill) e fazer novas fotos dos mesmos lugares cem anos depois', disse Orlov.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...