miércoles, 26 de diciembre de 2012

A vida das crianças no mundo


O Unicef, Fundo das Nações Unidas para a Infância, anunciou os vencedores de seu concurso internacional Photo of the Year 2012, cujo objetivo é documentar a vida e a situação de crianças no mundo.
O italiano Alessio Romenzi ficou em primeiro lugar com uma foto de uma menina em hospital em Aleppo, cidade palco de duros conflitos na Síria.
Outras fotos premiadas retratam crianças em comunidades onde há pobreza, trabalho infantil e desastres químicos.
Alguns trabalhos também abordam temas em debate na sociedade, como concursos de beleza infantis e adolescentes em conflito com seu corpo.
Leia a respeito do prêmio no site www.unicef.de/presse/2012/unicef-foto-des-jahres-2012/


A Unicef, braço da ONU para a infância, anunciou os vencedores de seu concurso internacional de fotos, cujo objetivo é documentar a vida de crianças no mundo. O fotógrafo italiano Alessio Romenzi foi o vencedor, com esta imagem de uma menina na sala de espera de um hospital em Aleppo, na Síria.


O segundo lugar do Unicef Photo of the Year 2012 ficou com o fotógrafo indiano Abhijit Nandi, por seu projeto "A vida na corda-bamba", que documenta os apuros vividos pelas crianças de rua de várias partes da Índia.


Andrea Gjestvang, da Noruega, ficou em terceiro lugar com seus comoventes retratos dos sobreviventes do atirador Anders Breivik, que massacrou 77 pessoas em Oslo e na ilha de Utoya no ano passado. "A minha vida mudou de várias formas. Me senti triste e me isolei completamente", conta Cecilie, ficou gravemente ferida e perdeu um braço no ataque.


Laerke Posselt, da Dinamarca, ficou em quarto lugar. Inspirado pelo polêmico (ainda que bem-sucedido) reality show "Toddlers and Tiaras", ele retratou as crianças que participam de concursos de beleza mirins.


Diversas fotografias foram agraciadas com uma Menção Honrosa. Alex Masi, da Itália, fotografou o legado deixado pelo desastre químico de Bhopal, que deixou centenas de mortos na Índia em 1984. Segundo a Unicef, "Como testemunha ocular, Masi sentiu-se responsável por jogar luz nessa situação trágica e no problema ainda não resolvido de despejo de lixo tóxico".


O australiano Daniel Berehulak fotografou a rotina de crianças que trabalham em minas de carvão no estado indiano de Meghalaya.


"Crianças deixadas em casa" é o título do trabalho de Andrea Diefenbach, focado na experiência de crianças na Moldávia, onde é comum encontrar crianças que moram sem seus pais.


Hossein Fatemi, do Irã, fotografou os efeitos da guerra sobre as crianças da Somália, que enfrentam uma luta diária pela sobrevivência em campos de refugiados.


"A partir de que idade os adolescentes têm - ou deveriam ter - o direito à autodeterminação no que diz respeito a seus corpos?", questiona a fotógrafa britânica Michelle Sank. Ela retratou jovens em conflitos com suas identidades no trabalho "Meu corpo pertence a mim".


Em maio de 2011, o fotógrafo alemão Christian Werner fotografou o trabalho do conhecido cirurgião turco Kemal Özkan, em um projeto chamado "Rito de circuncisão".


A fotógrafa russa radicada nos EUA Diana Markosian tenta capturar a influência da religião na vida de adolescentes na Chechênia entre 2011 e 2012.


A última Menção Honrosa foi para Åsa Sjöström, da Suécia, que acompanhou um grupo de mulheres e crianças ganenses acusadas de bruxaria. As fotos foram cedidas pela UNICEF-Foto des Jahres 2012.

Fonte: BBC Brasil
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...