sábado, 20 de octubre de 2012

Rostos em abóboras

O americano Ray Villafane começou a esculpir em abóboras informalmente, enquanto trabalhava como professor de artes, mas logo percebeu que tinha talento para ir além da brincadeira.
"Certo dia, um dos meus alunos mencionou que tinha uma enorme abóbora em casa, então pedi que ele trouxesse para que eu esculpisse para ele. Os resultados foram muito melhores do que eu podia imaginar, e todos os alunos começaram a trazer abóboras. Dessa forma eu fui praticando", diz ele.
Assim nasceram esculturas divertidas e assustadoras, expressivas e ricas em detalhes.
O que começou como um hobby - Villafane esculpia para hotéis e restaurantes da vizinhança - acabou se profissionalizando. Hoje, Villafane é capaz de transformar uma abóbora em uma face complexa em cerca de duas horas - em geral, sem ter uma ideia prévia do que vai esculpir.
"Eu simplesmente começo a esculpir, e a minha mente se desdobra (até que) ideias criativas comecem a surgir", conta. "Na maioria das vezes funciona, mas nem sempre (o resultado) é o que eu quero. Por causa da natureza desta arte, você nunca pode garantir que vai dar certo, e muitas vezes tenho que jogar a abóbora fora e começar tudo de novo."
Por causa da festa de Halloween, o mês de outubro é obviamente uma das épocas do ano em que Villafane mais trabalha.
"É uma época particularmente corrida, mas adoro meu trabalho. É divertido e sinto como se estivesse criando algo quase mágico. Quando você dá uma cara legal a uma abóbora, ela parece uma animação, como se você a tivesse trazido à vida."



Abóboras se transformam em seres animados e ricos em detalhes nas mãos do artista americano Ray Villafane. (Foto: Caters)


Villafane começou a esculpir em abóboras informalmente, enquanto trabalhava como professor de artes, mas logo percebeu que tinha talento para ir além da brincadeira. (Foto: Caters)


"(Tudo começou quando) um dos meus alunos mencionou que tinha uma enorme abóbora em casa, então pedi que ele trouxesse para que eu esculpisse para ele. Os resultados foram muito melhores do que eu podia imaginar, e todos os alunos começaram a trazer abóboras. Dessa forma eu fui praticando", diz ele. (Foto: Caters)


Villafane é capaz de criar esculturas divertidas e assustadoras, além de expressivas e complexas - como esta dupla de abóboras, uma costurando a boca da outra. (Foto: Caters)


O passo seguinte foi transformar o hobby - Villafane esculpia para hotéis e restaurantes da vizinhança - em algo profissional. Ele primeiro foi contratado como escultor das empresas de entretenimento D.C. e Marvel Comics e hoje é sócio, com seu amigo Andy Bergholtz, do Villafane Studios. Na empresa, ele não apenas esculpe, mas também realiza eventos e promove DVDs tutoriais de sua arte. (Foto: Caters)


Ele é capaz de transformar uma abóbora em uma face complexa em cerca de duas horas - em geral, sem ter uma ideia prévia do que vai esculpir. (Foto: Caters)


"Eu simplesmente começo a esculpir, e a minha mente se desdobra (até que) ideias criativas comecem a surgir", conta Villafane. "Na maioria das vezes funciona, mas nem sempre (o resultado) é o que eu quero. Por causa da natureza desta arte, você nunca pode garantir que vai dar certo, e muitas vezes tenho que jogar a abóbora fora e começar tudo de novo." (Foto: Caters)


O mais importante, prossegue, é encontrar a abóbora certa. De 50 abóboras, em geral ele encontra apenas uma que considera ideal - ou seja, pesada para seu tamanho, o que significa que terá uma casca grossa o suficiente para que dela surja uma face esculpida em 3D. (Foto: Caters)


Com uma ferramenta semelhante a um ralador, Villafane começa marcando as áreas dos olhos e da boca da escultura, sempre preservando a área do nariz - o qual acaba se tornando um dos elementos mais importantes de suas esculturas. Então, ele vai "brincando" com o material até que a face esculpida ganhe personalidade e traços marcantes. (Foto: Caters)


Villafane também já se aventurou em esculturas na areia, mas foi com as abóboras que se tornou mais conhecido e conquistou fãs. (Foto: Caters)


Por causa da festa de Halloween, o mês de outubro é obviamente uma das épocas do ano em que Villafane mais trabalha, respondendo a diversas encomendas de abóboras "personalizadas".


"É uma época particularmente corrida, mas adoro meu trabalho. É divertido e sinto como se estivesse criando algo quase mágico", afirma Villafane. "Quando você dá uma cara legal a uma abóbora, ela parece uma animação, como se você a tivesse trazido à vida." (Foto: Caters)


O fato de suas obras serem perecíveis as torna mais interessante, ele opina. "Como as nossas criações não duram para sempre, tendemos a dar valor a elas para sempre. Se todas durassem eternamente, acho que já estaria cansado delas." (Foto: Caters)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...