viernes, 7 de septiembre de 2012

Caminhar pelo mundo

A revista National Geographic Traveler escolheu as melhores trilhas para fazer caminhada em todo o mundo.
A lista inclui caminhos na África, em Israel, no Japão e no Tibete, entre rotas de peregrinação religiosa e trilhas pitorescas, como uma praia nos Estados Unidos que é famosa por naufrágios no começo do século 20.
A seleção inclui dicas sobre caminhos alternativos, distâncias e pontos mais importantes de cada um dos passeios.

Veja a lista original Clique aqui.


A revista 'Traveler', da National Geographic, escolheu as melhores trilhas para fazer caminhada em todo o mundo. Acima, o cânion Tararecua, no México. Também conhecido como Cânion de cobre, ele é formado na verdade por diversos cânions escavados pelos seis rios que se transformam no Rio Fuerte, no deserto de Chihuahua. Foto: Janusz Wrobel, Alamy/Cortesia National Geographic


A praia de Shi Shi, na Costa do Naufrágio, em Washington (EUA) é, segundo a publicação, um programa ideal para caminhadas em família, porque permanece natural e sem a presença de resorts. São cerca de 50km pela costa. No entanto, o local não é propício para esportes aquáticos. Em 1903 e em 1920, navios afundaram naquele local, deixando dezenas de mortos. Foto: Taylor S. Kennedy, National Geographic/Cortesia National Geographic


A trilha de Yoshida, no Monte Fuji, se tornou uma tradição cultural no Japão. O caminho mais popular tem 12 quilômetros de uma subida famosa pela sua dificuldade, mas realizada por cerca de 300 mil viajantes todos os anos. "É possível parar para comer macarrão em frente ao fogo em cabanas pelo caminho e se você quiser assistir o pôr-do-sol, o fará ao lado de mais de mil novos amigos", diz a revista. Foto: Lemuel Montejo, Getty Images/Cortesia National Geographic


A travessia do norte da cordilheira de Drakensberg passa pela África do Sul e por Lesoto. As montanhas são chamadas pelo povo Zulu de "ukhahlamba", ou "barreira de lanças". É a maior cordilheira do sul do continente africano e termina no Anfiteatro, um muro de de cerca de 5 km de extensão e mais de mil metros de altura. O parque é considerado patrimônio mundial pela Unesco. Foto: Ariadne Van Zandbergen, Alamy/Cortesia National Geographic


A peregrinação até o monte Kailash, no Tibete, tem 51 km de extensão, mas não leva até o topo do monte, que é considerado sagrada para o hinduísmo; o budismo; o jainismo; a religião ayyavazhi, um ramo do hinduísmo e a antiga religião tibetana bon. Por causa disso, o caminho percorre somente os arredores da montanha, passando por locais de meditação em cachoeiras e uma caverna sagrada. Foto: Michael Runkel, Robert Harding/Corbis/Cortesia National Geographic


O caminho francês até Santiago de Compostela, no norte da Espanha é uma rota de comércio desde a Roma Antiga e de peregrinação católica desde a Idade Média. Acredita-se que os restos de São Tiago Maior estão preservados na catedral, a parada final da trilha de 760 km. Há pelo menos oito caminhos sinalizados na Europa para chegar até a cidade, mas o caminho francês, que começa em Saint-Jean-Pied-de-Port, é considerado uma das melhores trilhas da Europa. Foto: Samuel Aranda, Corbis/Cortesia National Geographic


A trilha nacional de Israel percorre até mil quilômetros em meio ao deserto, passando por vários kibutzim e pelas cidades de Tel Aviv e Jerusalém. O caminho também leva o visitante a locais históricos e de importância religiosa como o mar da Galileia, o rio Jordão e outros, e termina no balneário de Eilat, no mar Vermelho. Segundo a National Geographic, a trilha é segura e afastada dos pontos de conflito no país. Foto: Yagil Henkin, Alamy/Cortesia National Geographic

Fonte: BBC Brasil 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...